ALIMENTAÇÃO DOS BEBÊS

0
Um estudo que analisou 8.150 bebês de 9 meses, mostrou que as crianças que receberam alimentos sólidos antes dos 4 meses, e que tiveram o aleitamento materno exclusivo prejudicado, foram aquelas que ganharam mais peso. Geralmente, a introdução antecipada desses alimentos foi observada naquelas crianças que ficaram sob o cuidado de outras pessoas. Respeitar etapas é fundamental. Existe o momento certo de introduzir, e aos poucos, os alimentos na dieta da criança. 
A amamentação deve ser exclusiva até os seis meses de idade. A inclusão do alimento sólido significa uma mudança anatômica, fisiológica e de estrutura celular. Aos 4 meses, é possível que o intestino ainda esteja imaturo, e o organismo pode não responder da forma ideal a essa alteração e já iniciar um acúmulo de gordura. Cabe aos pais orientar e supervisionar o que a criança come mesmo na sua ausência.
 
Uma alimentação correta refletirá diretamente no crescimento e desenvolvimento da criança. Para incentivar quem cuida da criança a se preocupar com a alimentação balanceada, uma boa opção é montar junto com ela o cardápio da semana. Os pais podem fazer isso junto com o filho quando ele estiver maior. Se a criança fica na escola, vale pedir o cardápio da semana para ver como será elaborado seu prato. Dê bastante atenção a esse início, que vai dos 6 meses aos 3 anos, quando o aprendizado alimentar se consolida.
Lembre-se sempre dessas regras básicas: apresente a comida gradativamente para que a criança e seu organismo tenham tempo de se acostumar com esse novo jeito de comer, ofereça o maior número de sabores e garanta a presença de todos os tipos de alimentos nas refeições. Quando seu filho começar a comer, ainda nas papinhas, é importante não bater tudo no liqüidificador. Se fizer isso, os alimentos ficarão com cor e sabor misturados e a criança não saberá o que está comendo. É melhor amassar na frente dela e oferecer, assim, será possível associar um gosto a uma comida. Mães que estendem a amamentação além dos 6 meses e iniciam uma transição gradual para os alimentos sólidos costumam ter filhos com paladares mais receptivos, revelam três estudos produzidos pela Universidade da Califórnia.
 
Ah! Lembre-se que o bebê não faz idéia do que é sal e açúcar, por isso, quanto mais tarde for apresentado a ele, maiores serão as chances de aceitar todo tipo de alimento. Se você iniciar a alimentação da criança com muito tempero (sal) ou açúcar, pode ter certeza que ele rejeitará todas as outras coisas que não tenham sabores tão fortes como esses. Essa regra vale pelo menos até os 2 anos.
 
Recomendo:
Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs 'Salve Meu Casamento' e 'Educando na Contramão'. Idealizadora do Projeto Infantil 'O Coração Vermelho', que conta com um livro de sua autoria. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora