O DESENVOLVIMENTO DA FALA EM BEBÊS E CRIANÇAS

0
como-estimular-fala-bebe-2

Acompanhei algumas mamães preocupadas com o atraso na fala de seus filhotes e em contrapartida, outras orgulhosas por perceberem que seus pequenos começaram a falar antes do tempo. A minha intenção com este texto, é dar a você algumas dicas de como estimular a fala do seu filho ou descobrir, caso haja, algum problema na audição, que possa de alguma forma afetar o desenvolvimento dela.

Assim que o bebê nasce, as maternidades costumam fazer um teste que detecta qualquer alteração, mas mesmo assim, você deve ficar atento ao desenvolvimento da audição e fala de seu filho. Para ter uma ideia, por volta dos 2 anos a criança já deve estar pronunciando diversas palavras. Algumas demoram um pouco mais, e outras, com essa idade, já pronunciam frases inteiras.

Um conselho: nunca compare seus filhos com outras crianças, pois este não é um hábito muito saudável. Lembre-se que cada criança é ÚNICA, e mesmo sendo filhos do mesmo pai e mesma mãe, terão muitas diferenças (eu que o diga!), o que não deve ser motivo de preocupação.
Seria interessante uma avaliação com o pediatra ou fonoaudiólogo se aos 2 anos ou mais, seu filho não estiver pronunciando absolutamente nada. Fora isso, desencane! Se alguém vier a você com cometários do tipo: “Nossa, seu filho ainda não fala? Mas com essa idade já deveria estar falando!” ou “Seu filho ainda não fala? Olha só como o meu fala!” Descobri (por experiência própria) que esse tipo de comentário deve ser ignorado. Não se incomode e nem se torture, no máximo responda: “Cada criança é única, não podemos comparar… Provavelmente meu filho faz coisas que o seu ainda não faz.”
Existem pesquisas comprovando que meninos normalmente desenvolvem a coordenação motora muito mais rápido que a fala, mas isso não é regra. Aqui em casa por exemplo, os dois começaram a falar muito cedo, tanto a menina como o menino. A Raquel com 2 anos já falava frases inteiras e o André, que hoje está com 1 ano e 9 meses, fala praticamente tudo, além de já pronunciar diversas frases. Acredito que isto seja resultado de muito estímulo, e é exatamente sobre isto que quero falar, quer dizer, escrever…
Por volta de seis semanas (ou 1 mês e meio), um bebê já pode “dirigir” uma conversa, pois aprendeu que sons, gestos e linguagem corporal, despertam reações nas pessoas que estão a sua volta. Um bebê bastante estimulado, começa a imitar sons por volta de 8 semanas (2 meses). Isso significa que os pais precisam cercar seus filhos de palavras, usando histórias, música, poesia, comentários e conversas específicas. A abundância de fala, usando um certo ritmo e repetindo sons simples, ajudam o cérebro do bebê a formar milhões de conexões que serão necessárias para o domínio completo da fala.

Outro segredinho, é que a fala está intimamente ligada a emoção. Crianças que recebem amor incondicional e muito carinho têm uma chance maior de aprender a linguagem do que aquelas que não recebem.

Vou deixar aqui algumas dicas de como estimular a fala de seu filho conforme a idade:

Recém nascido a 2 meses
  • Fale com o seu filho o máximo que puder;
  • Recompense a comunicação dele com sorrisos, carinhos e atenção;
  • Quando falar com ele, olhe nos olhos. Isso é essencial para que seu filho compreenda seu interesse, amor, preocupação e atenção;
  • Aprenda o vocabulário básico dos choros. Sempre responda a um pedido feito através do choro (que é uma forma de comunicação), seja por fome, cansaço, tédio ou afeição. Nunca largue o bebê chorando.
4 a 6 meses
  • Encoraje o ato de sugar, lamber, fazer bolhas e mastigar. Os movimentos da língua, palato e lábios, são um exercício ótimo para o desenvolvimento da fala;
  • Crianças expostas a músicas e poesias, falam mais cedo e melhor do que crianças que não tem contato com essas atividades;
  • Uma das primeiras formas de comunicação dos bebês é o riso. Ria muito com ele;
  • Repita diversas vezes durante o dia nomes, eventos e rotinas. Use uma entonação dramática e use gestos sempre que possível: “Vamos trocar a fralda? Você fez xixi!” ou “Agora é hora do banho! Vamos ficar limpinho? Este é o seu pézinho, está é sua mão, etc.”.
7 meses a 1 ano
  • Quando seu filho pronunciar alguma palavrinha, repita devagar, com clareza e realce o significado com ações, expressões e gestos. Por exemplo, se o bebê disse “áua” (água), diga: Você quer água? (apontando para o copo ou filtro);
  • Perca a timidez e imite as expressões do bebê. Ele vai olhar pra você, rir e tentar novamente;
  • Quando seu filho disser um som parecido com alguma palavra, repita e demonstre a sua alegria. Diga como ele é inteligente, ria e dê-lhe um abraço. Ele vai querer repetir várias vezes essa nova descoberta;
  • Demontre os significados das palavras através de imagens, gestos e ações. As crianças só podem começar a falar quando as palavras adquirem um significado.
1 ano a 1 ano e meio
  • Por volta de 1 ano, seu filho pode dizer: Mamãe! (apontando para a água). Ao invés de você atender o pedido imediatamente diga: “Você quer água? A mamãe vai pegar.” Dessa maneira, em pouco tempo ele estará dizendo: Mamãe, áua!;
  • Apresente vários ruídos a seu filho e diga: a porta range, o telefone toca, o cachorro late;
  • Leia livros diariamente, repetindo quantas vezes ele pedir e for possível. Ressalte nomes e objetos familiares. Demonstre prazer quando ele se lembrar;
  • Dê nome a tudo, em todos os lugares: cores, formas, texturas, etc;
  • Comece a contar, usando números sempre que surgir a oportunidade.
1 ano e meio a 2 anos
  • Use adjetivos sempre que possível: bom e mau, bonito e feito, quente e frio. Depois junte aos substantivos: leite frio, menino bonito, especialmente quando descrever comida, pessoas e os brinquedos favoritos dele;
  • Utilize também as preposições como: embaixo, em cima, atrás, etc.;
  • Siga o ritmo de seu filho, não o pressione em hipótese alguma. Como eu disse anteriormente, nada de comparações, a linguagem é aprendida em ritmos individuais.
2 a 3 anos
  • Proporcione regularmente a companhia de outras crianças. Nessa fase, a fala deixa de ser egocêntrica e se torna mais social, por isso a importância do contato com outras crianças;
  • Repita as histórias favoritas de seu filho, para que ele possa posicionar seus sentimentos em relação ao mundo;
  • Leia histórias mais complexas, apresente novas palavras e explique seu significado.
3 a 4 anos
  • Sempre que seu filho pronunciar uma palavra errada não o corrija, apenas repita a frase usando a palavra corretamente. Se ele disser: Mamãe, pega aquela mánica pra mim? Você diz: Você quer aquela máquina?;
  • Converse com ele sobre soluções de problemas simples. Peça a opinião dele sobre algo que possa concordar, passando-lhe a impressão de ter tomado a decisão;
  • Quando seu filho fala com você, mostre que está prestando atenção, acenando e balançando a cabeça;
  • Sempre responda as perguntas que ele fizer. Nunca minta! Se fizer isso, seu filho vai descobrir e perderá a confiança em você. Não há a necessidade de contar a verdade por inteiro, mas apenas a quantidade com a qual seu filho poderá lidar;
  • Crianças gostam de sussurrar, portanto, brinque de jogos e brincadeiras com sussurros;
  • Inclua contos de fadas em suas leituras, pois melhoram o conceito sobre o real e o irreal, passado, presente e futuro, justiça e injustiça, bem e mal, bondade e brutalidade, etc.

Seu filho pode ouvir você?
Aqui estão algumas dicas que te ajudarão a descobrir como anda a audição do seu pequeno:

Recém-nascido: ele deve assustar-se com um ruído alto e inesperado, assim como uma palma forte, ou uma porta batendo, e deve piscar ou abrir muito os olhos quando os escuta.
Por volta de 1 mês: ele deve estar reparando em ruídos súbitos e prolongados, como o do aspirador de pó.
Por volta de 4 meses: ele deve se tranquilizar e sorrir com o som da sua voz, mesmo que não consiga vê-la. Pode também voltar a cabeça ou os olhos em sua direção.
Por volta de 7 meses: deve voltar-se imediatamente ao ouvir sua voz do outro lado da sala, ou ruídos baixos feitos ao lado dele.
Por volta de 9 meses: escuta com atenção os ruídos familiares e demonstra prazer em emitir os primeiros balbucios.
Por volta de 1 ano: deve demonstrar reação ao nome dele e a algumas palavras familiares. Pode também reagir quando você diz não e tchau.
Se houver alguma dúvida em relação a audição do seu filho, procure logo um especialista.
Por hoje é só pessoal! Espero que tenham gostado, até a próxima!
Fonte de pesquisa: Conheça seu filho – Dra. Miriam Stoppard

 

Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs 'Salve Meu Casamento' e 'Educando na Contramão'. Autora dos livros O coração vermelho, Tem princesa que..., Iguais e diferentes e Quando nasce um coração. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora e @danimarques_escritora