SUQUINHOS, FRUTINHAS E PAPINHAS!

0
Antes de começar, gostaria de salientar a importância da amamentação exclusiva até os 6 meses de idade. Se você está grávida, acabou de ter um bebê ou ainda está amamentando, dê uma lida neste post sobre amamentação, aqui você poderá tirar todas as suas dúvidas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, a não ser em casos excepcionais, a criança até pelo menos um ano deve receber apenas o leite materno. A minha mais velha, que hoje está com 5 anos, mamou exclusivamente no peito até os 6 meses, já o caçula, mamou até os 5 meses. Só depois deste período que introduzi o suquinho, frutinhas e papinhas como complemento. Depois disso, eles ainda continuaram mamando no peito até 1 ano de idade. Em alguns casos específicos, as mamães precisam começar o processo antes, ou porque não conseguiram amamamentar ou porque voltarão ao trabalho antes do bebê completar os 6 meses. Neste caso, é importante manter contato com o pediatra, ele saberá informar o momento certo para introduzir cada tipo de alimento. O leite de vaca, por exemplo, contém mais de 25 proteínas potencialmente alergênicas, por isso devemos tomar cuidado. Lembre-se, a sua experiência e a do seu bebê são únicas! Não é porque a sua vizinha deu chá para o filho que você também deve dar. As circunstâncias devem ser muito bem analisadas, especialmente por um profissional.

Porque os pediatras não recomendam introduzir os suquinhos, chazinhos e papinhas antes dos 6 meses? Porque o sistema digestivo do bebê ainda não está totalmente formado, ou seja, não está preparado para receber outros alimentos, a não ser o leite. Parece frescura? Muitas vezes sim, mas acho que décadas e décadas de estudos não nos trariam informações tão erradas. Como disse anteriormente, cada caso é um caso. Pode ser que por algum motivo seu pediatra libere o suquinho aos 3 meses. Fique tranquila, ele é um profissional e tem acompanhado o seu caso, e na grande maioria das vezes, sabe o que está dizendo!

Suquinho

Como disse no início, a Raquel tomou o primeiro suquinho aos 6 meses e o André aos 5. Todo pediatra recomenda que o primeiro suco oferecido ao bebê seja o da laranja lima, por ser uma fruta doce e leve. Aos poucos, outras frutas (não tão ácidas) serão liberadas, como o mamão, pêra, maçã, melão, etc. Você pode ser criativa com os coquetéis, misturando laranja lima com diversas outras frutas e inclusive legumes, como cenoura e beterraba. Fica super gostoso e nutritivo!

Açúcar e mel nem pensar! Pode ser que você prove o suco e sinta falta do açúcar, mas o seu bebê não vai sentir, afinal, ele ainda não sabe o que é “doce”. Resolva este problema preparando sucos de frutas bem maduras e saborosas, elas já tem o açúcar natural. E não é porque você detesta beterraba que seu bebê também vai detestar. Misture o suco de uma laranja lima com um pedacinho de mamão e um pedacinho de beterraba crua, bata no liquidificador e veja que delícia vai ficar! Se ele estranhar, não se preocupe. Espere alguns dias e ofereça novamente. É comprovado cientificamente que é necessário provar no mínimo 15 vezes um alimento, com um intervalo entre os dias, e com preparações diferentes para se certificar de que realmente não gosta dele. Ou seja, ofereça o suco de beterraba misturado com outras frutas, uma ou duas vezes por semana no mínimo 15 vezes, para ter certeza de que seu bebê realmente não gosta.

E não demore muito para oferecer frutas ácidas. Uma dica é começar a espremer meia laranja pêra com meia laranja lima e ir aumentando aos poucos, até mudar completamente para a laranja pêra. Inicie este processo depois de mais ou menos 2 semanas que seu bebê começou a tomar o suquinho. Conheço mamães que demoraram tanto para oferecer frutas ácidas, com medo do bebê rejeitar, que até hoje, que já estão grandinhos, não aceitam. Seu bebê não vai tomar suquinho de laranja lima pra sempre não é? Por isso, comece a prepará-lo logo, e quanto antes melhor! Misture laranja lima com um pedacinho de abacaxi bem doce ou quem sabe com alguns gomos de mexerica, uva ou morango. Lembre-se, o paladar do seu filho será formado nos primeiros anos de vida, por isso, diversifique e seja criativo!

Papinhas Doces

Provavelmente seu pediatra vai sugerir que ofereça a papinha de frutas antes da salgada, começando também pelas frutas mais leves, como banana, pêra, mamão e maçã. Como a fruta oxida rapidamente, é importante que a papinha seja amassada (ou raspada) no momento em que for ser servida. Assim que seu pediatra permitir, introduza outras frutas como abacaxi, melão, morango, manga, mexerica, goiaba, kiwi, etc. No início, a papinha deve ser bem amassada, mas com o tempo, pode começar a deixar alguns pedacinhos pequenos, bem cortadinhos, para estimular a mastigação. Nada de bater no mix ou liquidificador! A partir do sétimo mês, mais ou menos, permita que seu bebê tente se alimentar sozinho, segurando uma banana ou chupando uma laranja. Isso estimula a dentição, a mastigação e a independência para comer. Mas faça isso somente com a sua supervisão!

Papinhas salgadas

Logo depois do suquinho e da papinha doce, entra o almoço, com a papinha salgada. A janta demora um pouquinho mais. Lembrando que cada suco, frutinha ou papinha vai substituindo uma mamadeira de leite. Quando o pediatra introduzir a janta, irão restar apenas 3 mamadas (manhã, tarde e noite). Bom, sobre a papinha salgada, é importante que você comece oferecendo um ingrediente de cada vez, pois se houver alguma reação, saberá exatamente de que alimento é. Inicie com a batatinha ou mandioquinha amassada. No dia seguinte, misture com uma cenourinha ou abobrinha. Nos primeiros dias, ofereça sem tempero nenhum, mas na segunda semana, coloque um fiozinho de azeite e um poquinho de sal. Com o tempo, passe a temperar com alho, cebola e salsinha. São temperos naturais, e quanto mais saborosa a papinha estiver, mais vontade o seu bebê vai ter de comer.

Recomenda-se que os ingredientes sejam amassados separadamente, para que a criança sinta o sabor de cada um. Uma dica legal, é ir falando o nome do alimento conforme for oferecendo ao bebê, por exemplo: “Olha filho, agora você vai comer a batatinha! E agora a cenourinha”, para que ele associe o nome ao sabor. Bater no liquidificardor ou mix, nem pensar! Passar na peneira também não. Deixe tudo bem cozido e picadinho e depois amasse. É importante que fique uns pedacinhos, para que o bebê aprenda a mastigar. Depois da segunda semana, começe a oferecer frango, carne e feijão. A refeição deve ser composta de:

Proteínas: carnes, peixe, frango, queijo ou ovo.
Leguminosas: feijões, lentilhas ou grão de bico.
Hortaliças: verduras e legumes.
Carboidratos: cereais e tubérculos como arroz, milho, batata, mandioca entre outros, além das massas.

A partir destas informações, use a sua criatividade na preparação das papinhas. Aqui em casa, eu preparava 2 ou 3 vezes por semana, era o suficiente. Algumas vezes guardava em potinhos no freezer para os casos de emergência. Sobre as famosas papinhas da Nestle, não tenho nada contra, aliás, aqui em casa usei com os dois. A Raquel aceitou bem as papinhas doces e salgadas, já o André, não curtiu muito as doces. Eu comprava apenas 4 potinhos por mês. O tamanho do potinho varia conforme a idade, os maiores já vem com pedacinhos. Acho que neste caso, deve haver um equilibrio. Conheço mães que só deram papinhas da nestle aos seus filhos, e por outro lado, outras que nunca deram. Não acho legal exagerar, mas acho interessante acostumar a criança para os momentos em que você não tiver outra opção.


Quando introduzir a comida da família?

Não existe uma idade certa. Você vai perceber e sentir quando for o momento. Com a Raquel, por ser a primeira filha, esperei um pouco mais e introduzi aos 11 meses. Já o André, por ser o segundo, iniciou mais cedo, aos 9 meses (eu já estava menos encanada). Aqui em casa não uso temperos fortes e artificiais como caldo knorr e sazon, e dificilmente faço frituras, por isso, foi bem tranquilo eles se adaptarem as nossas refeições. E pra falar a verdade, é um peso que sai das costas quando não temos mais que nos preocupar com as papinhas…rs. Nesta fase, quando saíamos pra comer fora ou eu levava uma papinha da Nestle ou dava a janta antes de sair de casa. Dependendo do restaurante, existem tantas opções de comida, que fica fácil resolver o problema. Faça um prato bem saudável, apenas com alimentos cozidos ou assados. E nada de temperos fortes!

Mel, carne de porco, peixe e ovo

Sobre o mel, muitas mamães acham que podem substituir pelo açúcar e oferecer tranquilamente antes do primeiro ano. Mas hoje, sabe-se que o mel possui uma bactéria perigosa, causadora do botulismo, e antes de um ano, as consequências são muito mais perigosas, por isso, nada de mel!

A carne de porco (bistecas, salsichas e linguiças), é bom esperar para oferecer após o primeiro ano. É uma carne muito forte e gordurosa, e o seu bebê pode ter alguma reação. Se após um ano você oferecer e perceber que o organismo da criança reagiu bem, mesmo assim não exagere. Conheço mães que oferecem aos filhos salsicha e linguiça mais de uma vez por semana. Isso definitivamente só trará malefícios a saúde. Fora que o paladar da criança ficará mais propenso a sabores fortes, o que fará com que rejeite alimentos com sabores não tão intensos.

A gema de ovo também é liberada mais ou menos após um mês que a criança já está almoçando e jantando. Comece com 1/4 de gema, após 2 semanas aumente para 1/2 e só depois de mais 2 semanas passe para a gema inteira. Espere mais um pouco para oferecer a clara do ovo (que deve ser sempre cozida), pois oferece um certo risco de reação alérgica. Aqui também deve haver um equilíbrio. Ofereça o ovo no máximo 2 vezes por semana. Ele é rico em proteína, por isso, se já houver alguma carne no prato, não haverá necessidade do ovo.

Vejam outros alimentos que devem ser evitados antes de 1 ano de idade: 

Farinha de trigo

Contém glúten e a criança pode apresentar intolerância à substância.
Pescados e frutos do mar Indicado somente após o primeiro ano, pois são muito alergênicos.
Sucos prontos (industrializados) São recomendáveis depois de 2 anos, e mesmo assim, eventualmente. Os sucos naturais contêm mais vitaminas e muito menos açúcar.
Embutidos e frios Como possuem muita gordura, sal e conservantes, devem ser evitados até os 2 anos.
Alimentos industrializados Em geral, estes produtos têm em suas fórmulas corantes e conservantes, por isso não devem ser consumidos por crianças antes de um ano de vida. Além disso, contém um alto teor de gordura hidrogenada, o que pode provocar obesidade e uma alteração nas taxas de colesterol e triglicérides.
Refrigerantes Esse tipo de produto tem elevada proporção de açúcar, corantes e outras substâncias sem nenhum valor nutritivo. Além disso, atrapalham a absorção de cálcio.
Enlatados Contêm sal em excesso, aditivos e conservantes artificiais que podem irritar a mucosa gástrica da criança, comprometendo a digestão e a absorção dos nutrientes, além do baixo valor nutritivo.
Doces Os açúcares e doces tiram a fome e ainda prejudicam o valor calórico das refeições. Neste caso, o ideal é que eles sejam consumidos no fim do primeiro ano e em quantidades bem pequenas. Dê preferência as frutas!

Espero que este post te ajude! Então… mães a obra!!!


Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs 'Salve Meu Casamento' e 'Educando na Contramão'. Autora dos livros O coração vermelho, Tem princesa que..., Iguais e diferentes e Quando nasce um coração. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora e @danimarques_escritora