MEU FILHO VAI SER MACHO!

0

“Meu filho vai ser macho!” Acho que essa é a preocupação de todo pai, fazer com que seu filho se torne um homem de verdade. A sociedade machista diz que homem de verdade é aquele capaz de “catar todas”, dar porrada em quem merece e beber uma cervejinha com os amigos enquanto a esposa se mata cuidando dos filhos e da casa.  Menino brincar de boneca? Jamais! Mas sabe, sendo mãe de menino pude perceber o quanto o discurso machista é maléfico. Descobri como é importante e especial ver o meu menino tratando a boneca da mesma forma que nós o tratamos, com muito amor e carinho. Isso vai fazer com que ele se torne menos homem? Enxergo de outra forma, penso que está treinando para ser um ótimo pai. 

Ele também adora me ajudar na cozinha preparando receitas e sempre diz: “Quero aprender para preparar para os meus filhos quando eu for adulto”. Nosso esforço está em formar um homem de caráter, um homem que quando crescer vai ter prazer em ajudar nos afazeres de casa e na educação dos filhos (e com habilidade!). Meu esposo sempre foi parceirão aqui em casa, me ajuda nas tarefas de casa e cuidados diários com as crianças e, aquilo não sabe fazer, se dispõe a aprender. No meu ponto de vista, isso é ser homem de verdade!

Algo que também me preocupa é ver os pais incentivando seus meninos a seduzir e paquerar garotinhas, com medo de que não se interessem por mulheres quando crescerem. Penso que criança tem mesmo é que se preocupar em brincar e não em namorar, pois namoro não é brincadeira. Tudo tem o tempo certo para acontecer, adiantar fases é sempre prejudicial. Ao invés disso, porque não ensina o seu filho a se tornar um cavalheiro, sendo respeitoso com as meninas? Por que não o ensina que homens devem tratar as mulheres com todo cuidado, pois são valiosas, como um vaso de porcelana? “Do mesmo modo vocês, maridos, sejam sábios no convívio com suas mulheres e tratem-nas com honra, como parte mais frágil e co-herdeiras do dom da graça da vida…” 1 Pe 3:7. Isso se aprende de pequeno, dentro de casa, e é muito melhor assimilado quando a criança percebe que o pai trata a mãe dessa forma.

Sabe por que hoje em dia encontramos tantas mulheres duronas, longe de serem sensíveis? Porque muitas vezes são tratadas pelos homens como “vasos de bronze” e de tanto serem machucadas e tratadas com frieza, criam uma “casca” quase que impenetrável. Percebe que isso vira um ciclo sem fim? O homem trata a mulher como um objeto sem sentimentos e ela, por sua vez, cria uma barreira para se proteger de outros possíveis ferimentos, se tornando cada vez mais durona. O homem percebendo que “se ela cair não quebra”, continua tratando-a da mesma forma. Olha só que grande responsabilidade temos na educação dos nossos meninos! O que aprenderem agora levarão para o resto da vida, inclusive para o casamento. Precisamos ensinar nossos garotinhos a tratarem as mulheres com amor, assim como Deus nos ensina: “Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito.” Efésios 5:33.  

Você deseja que seu filho futuramente tenha uma esposa que o trate com respeito? Então ensine-o que mulheres devem ser tratadas com amor.

Sendo mãe de menino também aprendi que lutas e aventuras fazem parte de sua natureza (com raras exceções) e ir contra isso certamente prejudicará o seu desenvolvimento. Heróis e aventuras precisam fazer parte de seu mundo e isso é saudável. O que não acho saudável é o estímulo a violência para que o garoto se torne “homem de verdade”. Os primeiros anos de vida são os responsáveis pela formação do caráter, ou seja, se você ensinar seu filho a agir e reagir com violência através de brinquedos, jogos, desenhos e filmes, é assim que ele vai crescer, pensando que todos os conflitos se resolvem na porrada.

Efésios 4:26 diz: “Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha…”. Irados todos nós ficamos, a questão é como vamos administrar esse sentimento. Acho que uma boa saída é: “Filho, não tem problema nenhum em ficar bravo, todos nós ficamos. O que você não pode fazer é usar a violência para extravasar essa ira, machucar pessoas nunca é legal. Devemos resolver nossos problemas através do diálogo, conversando.” Insista nesse ensinamento e ele absorverá, não tenha dúvida disso! E mais importante do que falar, é dar o exemplo.

“Ah, mas assim ele vai virar um bobão e apanhar o resto da vida”. 

Tenho ensinado o meu filho a não agir com violência, mas também digo que se for necessário ele pode e deve se defender. Também insisto em dizer que não é aceitável permitir que pessoas o machuquem fisicamente ou com palavras, mas estimular a bater e machucar, não creio ser o melhor caminho.

Te convido também a prestar atenção no que tem saído da boca do seu filho. Enxerga agressividade nas palavras? Esses dias escutei um garoto no mercado falando com a sua mãe: “Mãe, eu quero esse chocolate”. Ela disse que não e ele furioso respondeu: “Sua idiota!”. Em outra situação escutei uma mãe falando com a filha: “Pega esse brinquedo agora sua quenga!” E a menina respondeu: “quenga é você!”. Mas o que mais me indignou foi a resposta da mãe: “Se você falar palavrão de novo vai apanhar!” As crianças aprendem principalmente através do nosso exemplo. Você pode dar um sermão de boa moral, se não agir como tal, suas palavras terão sido em vão. Por isso eu pergunto: “O que tem saído de sua boca? Quais os desenhos e filmes que seu filho tem assistido? Que jogos tem jogado?” “O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em seu coração, e o homem mau tira coisas más do mal que está em seu coração, porque a sua boca fala do que está cheio o coração”. Lucas 6:45

Seu filho não vai ser mais homem se falar palavrão, xingar, bater ou seduzir menininhas. Se educá-lo dessa forma, ele vai se tornar um macho sim, um machucador de almas. Homem que é homem tem caráter, é respeitoso, cavalheiro, educado, honesto e responsável como pai e marido. A sociedade machista fez muito mal aos nossos meninos e consequentemente às nossas famílias. Uma sociedade feminista é maléfica da mesma forma. Precisamos encontrar o equilíbrio. Que o amor seja o juiz de nossas decisões, que ele apite o jogo em nossos relacionamentos. Ensine seu filho a amar e certamente ele crescerá como um homem de muita honra e valor!

Daniela Marques é esposa, mãe e escritora. Ama o que faz!


Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs 'Salve Meu Casamento' e 'Educando na Contramão'. Autora dos livros O coração vermelho, Tem princesa que..., Iguais e diferentes e Quando nasce um coração. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora e @danimarques_escritora