FILHOS E A BREVIDADE DA VIDA

0

E de repente ela fez 7…

Como você cresceu rápido! Parece que foi ontem que a mamãe te viu pela primeira vez. Minha filha, quantas coisas aprendi com você. Poderia passar horas aqui falando de suas qualidades (que são muitas!), e isso não seria difícil para uma mamãe tão coruja como eu. Mas dessa vez vou fazer diferente. Resolvi te agradecer por, mesmo sem saber, ter me ensinado tantas coisas nesses últimos 7 anos. Sei que ainda tenho muito a aprender, mas reconheço que hoje sou 7 x 365 vezes melhor do que eu era antes de você chegar. Olha só quantas coisas o Papai do Céu me ensinou através da sua vidinha:

– que todos os dias preciso estabelecer prioridades;
– que os relacionamentos sempre serão prioridade;
– que a casa não precisa estar sempre arrumada;
– que a briga dos amiguinhos não pode virar a briga dos pais;
– que depois de uma briga, crianças se entendem muito rápido. Adultos nem sempre;
– que nada, absolutamente nada muda se a louça do almoço ficar na pia até o dia seguinte;
– que bagunça de brinquedo não é sujeira;
– que é perda de tempo passar o dia recolhendo brinquedos;
– que se sujar de lama, sabão, massinha, tinta é divertido e necessário;
– que adultos também podem se divertir com corda, bambolê e amarelinha;
– que eu preciso aproveitar cada minuto com você como se fosse o último;
– que não precisamos de dinheiro pra viver momentos inesquecíveis;
– que a casa fica vazia sem você;
– que o tempo voa;
– que um sorriso seu é capaz de alegrar um dia triste;
– que o amor de Deus está na florzinha, na borboletinha, na bolha de sabão e no seu sorriso;
– que o meu exemplo sempre valerá mais do que qualquer palavra;
– que toda mãe acha o seu filho o mais bonito, o mais inteligente, o mais criativo e o mais esperto;
– que mesmo que eu faça de tudo para acertar, uma hora ou outra vou falhar;
– que todos os pais do mundo erram;
– que quando a gente tem filho, fica muito mais sensível a dor do outro;

– que quando você for adulta, é muito mais provável que se lembre dos momentos que brincamos juntas do que dos brinquedos e roupas que ganhou;
– que é possível fazer uma criança ter prazer em comer verduras e legumes;
– que dói demais ver um filho triste ou doente;
– que é possível chorar em comerciais de margarina;
– que ter um cachorrinho em apartamento não é tão desastroso como me falavam;
– que ver a sua alegria em ter um cachorrinho compensa todos os cocos e xixis que ele faz;
– que preciso pensar dez vezes antes de dizer alguma coisa;
– que riscos na parede saem com sabão, mas palavras mal ditas não;
– que fazemos amizade muito mais rápido quando temos filhos (aliás, você me fez ganhar MUITOS amigos!);
– que retribuir o mal com o bem também vale para a pessoa que fez mal para seu filho;
– que gritar num momento de raiva só piora a situação;
– que o nosso tempo deve ser gasto com aquilo que é eterno e estamos aqui neste mundo só de passagem;

– que nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar, por isso, tendo o que comer e com que nos vestir, devemos estar satisfeitos (1 Timóteo 6:7-8);
– que devo investir meu tempo em vidas, não em coisas;
– que se eu quero o seu respeito, devo te respeitar primeiro;
– que eu SEMPRE preciso escutar o que você tem a dizer antes de tomar alguma atitude;
– entendi o tamanho do amor que seu vovô e sua vovó tem por mim;

E por fim, descobri que Deus nos deu o dom de sermos pais para entendermos um pouquinho (só um pouquinho) do amor louco que Ele sente por cada um de nós. E que assim como eu me alegro com o seu sorriso, anseio por seu abraço e amo ouvir sua voz, nosso Paizão também nos espera de braços abertos, todos os dias. Ele anseia em passar tempo conosco, nos escutar, nos ensinar e dirigir nossos passos. Assim como fazemos TUDO pensando no seu bem (inclusive os momentos de disciplina), aprendi que Deus também age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito, como está escrito na Bíblia, lá em Romanos 8:28.

Vou ler essa cartinha pra você, e sei que ainda vai parecer tudo muito confuso. Mas um dia, quando você for mamãe, tenho certeza que ela vai te fazer chorar, assim como me fez chorar enquanto eu escrevia… Obrigada minha filha, simplesmente por existir. Sou enlouquecida de amor por você. Um dia você vai entender este amor. Te amo até a Lua… ida e volta!
Mamãe Dani

Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs 'Salve Meu Casamento' e 'Educando na Contramão'. Autora dos livros O coração vermelho, Tem princesa que..., Iguais e diferentes e Quando nasce um coração. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora e @danimarques_escritora