O MAL POR TRÁS DOS DESENHOS INFANTIS

0

 

Sempre fui muito criteriosa com aquilo que entra na mente dos meus filhos, pelo menos aqui dentro de casa. Sei que não terei controle em 100% do tempo e tenho total consciência de que essa porcentagem tende a diminuir, e é exatamente por saber disso que tenho trabalhado intensamente nesses primeiros anos, tempo este onde o caráter deles está sendo formado. Já está mais do que comprovado que tudo aquilo que entra em nossas mentes e ouvidos com certa frequencia acaba se tornando algo muito natural e familiar. Os especialistas chamam este processo de anestesiamento. Quer um exemplo? Exponha uma criança pequena a músicas obscenas e cenas de mulheres rebolando e expondo seus corpos que, em pouquíssimo tempo, ela estará repetindo o comportamento, e com a maior naturalidade! Outro exemplo? Deixe um garotinho exposto a desenhos e jogos violentos por um certo período que logo ele estará trazendo a violência da tela para a vida real. Não são teorias ou achismos, mas fatos comprovados.

Aqui em casa, por exemplo, procuro estar sempre de olhos e ouvidos atentos. Minha mais velha, de 8 anos, quando vai selecionar algum programa costuma me perguntar: “Mamãe, posso assistir o filme “x”? A classificação é livre!” Bem, ela já sabe que isso é um pré-requisito, mas mesmo assim fico de olho. Por várias vezes sentei para assistir com os meus filhos programas classificados como livres, mas que não deveriam ser permitidos nem para adultos! Uma guerra aberta contra a integridade do ser humano. Mentiras, trapaças, engano, maledicência, roubos… Pode até parecer engraçado e inofensivo, mas os olhos são a lâmpada do corpo. Consuma mentira e manipulação que em pouco tempo se tornará um mentiroso e manipulador sem que perceba, nos pequenos detalhes da vida. E pior, deixe seu filho exposto a esse tipo de cenas que o corpo dele refletirá o que seus pequenos olhos estão consumindo. 


A grande maioria dos desenhos expostos pelo SBT, Globo, Cartoon, Nickelodeon e Gloob, por exemplo, deveriam ser proibidos. Uma escola de autodestruição, a decadência da humanidade! Não tenho dúvida alguma que os autores desses programas usam drogas antes escreverem os episódios. Bob Esponja é um exemplo claro. Maconha? Imagina… É ácido mesmo! E o anestesiamento é tão grande que muitos pais são capazes de assistir programas como “Os Simpsons” e ainda dizer que não enxergam nada de errado… A mente cauterizou! E os desenhos da Barbie e Polly? Uma verdadeira escola de futilidade e superficialidade!

Ao expor seus filhos a esses programas está conscientemente ensinando-os desrespeitar, mentir, roubar, ridicularizar, enganar, denegrir e até a matar, atitudes essas que parecem muito engraçadas quando interpretadas por personagens de desenho animado, mas que transportadas para a vida real, retratam a degradação da humanidade, o caos em que se encontra a nossa sociedade.

E os pais? Estão ocupados demais.

Fazer o trabalho de filtro dá trabalho, leva tempo e é dificílimo andar na contramão, mas esse é o seu dever como pai e mãe. Somos chamados a essa responsabilidade! Seu filho é matéria-prima de ser humano. Que contribuição está entregando para a humanidade? A infância e adolescência acontecem apenas uma vez, a hora de investir é agora. Amanhã será tarde demais. Não terceirize a sua função, por mais que esteja ocupado, não exponha seu filho a desenhos, jogos e filmes sem antes analisar de forma criteriosa. Eles vão espernear? Muitas vezes sim, ainda mais se já estiverem acostumados, mas ainda é tempo e vale a pena. Não seja mais um a seguir o fluxo só porque todos seguem. Venha, me dê sua mão. Vamos na contramão, juntos somos mais fortes!

Dani Marques

Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs 'Salve Meu Casamento' e 'Educando na Contramão'. Autora dos livros O coração vermelho, Tem princesa que..., Iguais e diferentes e Quando nasce um coração. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora e @danimarques_escritora