COLOCA O CHINELO NO PÉ! E quando o filho não obedece?

0

Lembro que, quando pequena, uma das frases que mais odiava escutar da minha mãe era: Vai colocar o chinelo no pé! E de repente me vejo repetindo a mesma frase 30 vezes ao dia para os meus filhos: Vai colocar o chinelo! ou Vou costurar o chinelo nesse pé! Caramba, o que acontece com essas crianças que não conseguem lembrar de fazer algo tão simples? Estava me sentindo a mãe mais chata do mundo por ter que repetir tanto a mesma frase.

Ah, antes que eu me esqueça, essa ladainha aqui em casa rola só no inverno, porque o chão é absurdamente gelado. Nos dias mais quentes a gente desencana. Acho até saudável ver criança andando descalça (em chãos que não são absurdamente gelados). Na verdade, gostaria de saber se é lenda esse negócio de friagem no pé… Nunca parei pra pesquisar. Se algum especialista passar por aqui e souber a resposta, por favor, poste nos comentários!

Pois bem, depois de alguns meses repetindo a ladainha e tentando uma saída para evitar essa repetição, tive uma ideia. Na verdade, essa ideia surgiu depois de assistir algumas aulas na faculdade sobre psicologia comportamental. Resolvi mais uma vez usar os meus filhos como “ratinhos de laboratório” na técnica do reforço positivo, muito aplicado em terapia.

E como isso funciona? A cada comportamento adequado a criança recebe um reforço positivo ao invés de uma punição para o comportamento inadequado. A teoria comportamental diz que é muito mais eficaz e benéfico para o ser humano aprender novos hábitos através de reforço positivo ao invés da punição. Então pensei: Como meus filhos poderiam aprender a colocar o chinelo sem que eu precise ficar pedindo? Tive a ideia de montar com eles uma tabela de pontos. Aliás, essa é uma outra técnica bastante eficaz, deixar que a criança participe do processo de elaboração e planejamento das regras da família.

Sentei com eles, fizemos um quadrinho simples numa folha sulfite com o nome dos dois e falei: Cada vez que eu ver um dos dois de chinelo (sem que eu peça) vão ganhar um pontinho. Vamos estabelecer no máximo dois ao dia, ok? Depois de quantos pontinhos vocês acham que seria justo ganharem o prêmio? Os dois se entreolharam, falaram alguns números e acabaram concordando com a meta de 30 pontinhos. Preguei a tabelinha na geladeira e iniciamos o processo. Ah, também prometi a eles (e a mim mesma) que nesse período não falaria mais a frase da chatice. E cumpri!

Conclusão: Faz quase dois meses que fizemos esse combinado e vou dizer pra vocês que tem dado certo em 85% do tempo com a minha filha mais velha e 95% com o caçula. Sim, sucesso total! Há quase dois meses não repito mais a ladainha, o que foi um grande alívio para os ouvidos deles e também para os meus. Não sei se uma hora chegaremos a 100%, mas pra mim já foi um avanço e tanto! E sim, pretendo continuar.

Talvez você deva estar se perguntando se essa técnica funcionaria para outras áreas da vida da criança. Sim, se bem aplicada, funciona sim. É preciso persistência, paciência e um combinado prévio. Se o seu desejo é que a criança tire o prato da mesa quando terminar a refeição, por exemplo, e está cansada de ter que ficar repetindo todo dia, faça o teste do reforço positivo. Use pontinhos, adesivos e pensem juntos no prêmio e prazo. E lembre-se, não vai adiantar estipular a tabelinha se você continuar com a ladainha ou ameaças constantes. No fim das contas, o segredo do sucesso – na maioria das vezes – está na disciplina e autocontrole do próprio cuidador, ou seja, da pessoa que passa mais tempo com a criança.

Espero que esse post ajude a trazer um pouco mais de equilíbrio e paz para a sua casa. Mais sorrisos e menos gritarias. Quando pais e filhos trabalham juntos, a família toda sai ganhando! 🙂

Obs.: Sobre o prêmio, cada família deve encontrar a sua dinâmica. Não existe uma regra. Aqui em casa gosto de combinar passeios, especialmente os culturais: parques, museus, livrarias, piqueniques… É também uma forma de não estimular o consumismo.

 

Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs ‘Salve Meu Casamento’ e ‘Educando na Contramão’. Idealizadora do Projeto Infantil ‘O Coração Vermelho’, que conta com um livro de sua autoria. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora