DEVO FORÇAR MEU FILHO A BEIJAR E ABRAÇAR?

0

“Quando forçamos uma criança a beijar, abraçar ou ser tocada por outra pessoal CONTRA A VONTADE DELA, estamos abusando, agredindo e desrespeitando esse indivíduo. As crianças devem ser tratadas com respeito, empatia e devemos ensiná-las que o seu corpo deve SEMPRE ser respeitado. Existem limites e cada crianças vai saber dizer qual é o seu. Crianças introvertidas, no geral, expressam desagrado ao toque quando se tratam de pessoas que não da sua extrema intimidade. Isso não significa má educação, mas um traço de personalidade que deve ser respeitado. Quando forçamos uma criança a beijar, abraçar ou permitir que a beijem ou abracem contra sua vontade, sob pena de ser considerada mal criada, tímida ou mal educada, estamos agredindo e invadindo um ser que nessas questões deveria ser protegido.

Quando expomos uma criança a situações como estas, estamos ensinando-a que bonzinho é aquele que se permite ser tocado, que expressa isso através do contato corporal e que não coloca limite sobre seu próprio corpo. Uma criança não tem discernimento para saber quando o toque é aceitável e quando é criminoso. Em um momento de nossa ausência ou vulnerabilidade, ela não saberá se deve impedir a investida, já que foi condicionada a permitir que lhe toquem, pois é assim que agem as crianças “boazinhas e bem educadas”.

A proteção mais efetiva que podemos oferecer aos nossos filhos é ensinando e demonstrando RESPEITO, atitude que começa dentro de casa, através dos pais, avós, tios e contatos mais próximos. Respeito pelos limites do outro quando o assunto é TOQUE FÍSICO. O que não quer dizer que não devemos ensinar as regras sociais aos nossos filhos. Ensinar bons modos é ensinar a cumprimentar, se despedir, dizer por favor e obrigada. E isso NÃO precisa necessariamente ser feito obrigando a criança a ser tocada, abraçada ou beijada. Ensinar gentileza e cordialidade é DIFERENTE de forçar a criança a permitir que lhe beijem, abracem ou toquem CONTRA A SUA VONTADE.

O importante é sempre observar o perfil, individualidade de cada um e ensinar à criança que quando o assunto é CORPO e TOQUE FÍSICO, cada um deve ter a liberdade de impor os seus próprios limites. E esse é o tipo de coisa que se aprende de pequeno, logo nos primeiros anos de vida. Atitudes como essa podem, inclusive, livrar seus filhos de permanecerem em relacionamentos abusivos lá na frente.

Quando o assunto é corpo: respeito e limite sempre!

Daniela Marques

 

  • Texto de Luzinete Carvalho, psicanalista e educadora perinatal. Adaptado e comentado por Daniela Marques.

 

Share.

About Author

Daniela Marques é escritora, esposa e mãe de dois. Edita e desenvolve conteúdo para os blogs ‘Salve Meu Casamento’ e ‘Educando na Contramão’. Idealizadora do Projeto Infantil ‘O Coração Vermelho’, que conta com um livro de sua autoria. Formada em Design de Interiores e graduanda em Psicologia. Ama o que faz! Conheça também suas obras infantis em: Facebook/DaniMarquesEscritora